segunda-feira, 4 de janeiro de 2010

Desabafo...

Fiz um texto hoje, uma forma de desabafo:

A quase 20 anos eu nasci.
A quase 19 anos dei meus primeiros passos.
A quase 12 anos algo nasceu dentro de mim: ansiedade.
A quase 4 anos um algo novo nasceu dentro de mim: medo.
A quase 3 anos perdi algo: motivo.
A quase 2 anos perdi algo novamente: vontade.

Curta introdução, muito significado.
A 12 anos, não imagina que um simples problema, desconforto me fizesse chegar a onde estou. Parecia ser algo momentâneo, nervosismo por causa da escola, novas amizades, nova cidade, novos caminhos.
Apesar desse desconforto causado pela ansiedade eu conseguia caminhar. Minha mente tinha quadros pendurados: meus sonhos. Medicina veterinária. Intercâmbio. Inglaterra. Namorar. Tirava o pó deles todo santo dia, só para lembrar o quão importante eram.
Só que o tempo passou, e com ele, esqueci de tirar o pó. Mas me lembrava dos quadros ainda, apenas tinham perdido a sua significância.
Eu ainda tinha uma projeção de um futuro. Eu falava, projetava, imaginava e ainda sonhava em como o futuro seria, como eu seria, quem eu seria.
Porém, mais uma vez o tempo foi passando, e acabei me esquecendo que tinha uma sala com quadros. Os quadros foram retirados, e em seus lugares, recortes de jornais foram postos: medos. A sala foi perdendo a sua beleza, pois se tornou sem cor, sem vida. Passei a visitar cada dia mais essa sala, só para ter certeza de que nenhum novo recorte de jornal fora adicionado a coleção.
Quando não tinha mais espaço nas paredes, teto e chão, vi que tinha perdido algo: motivos. A linha de vida que fora imaginada á 12 anos atrás fora perdida, agora ela se tornara algo sem sentido. E com isso percebi que minha vontade de viver havia se esgotado, não para sempre, só estava fora de estoque.
E algo que vem acontecendo à 20 anos, percebi a apenas 20 minutos: desisti de mim. Não tenho mais planos, nem vontades, nada. Perdi o interesse em mim. E há 20 minutos resolvi dar uma última olhada na minha sala de recortes e sem querer tropecei em uma pilha de quadros, que foram esquecidas em um canto dessa sala, embaixo de recortes.
Tinha planos, por que fui os esquecendo? Foi por algo maior que eu? Não.
Foi por algo bem menor, que eu deveria ter superado, e não alimentado.
A 23 minutos voltei a ter motivo, reencontrei minha vontade, me achei.
Sim, vai demorar até retirar todos os recortes das paredes, eles foram bem fixados lá. Vai ser difícil, não impossível.
Essa sala agora não terá apenas quadros e recortes, fotos serão colocadas: minhas conquistas. Por que sempre que um recorte de jornal me ameaçar, me apoiarei em uma foto sabendo que sou capaz de ser mais forte que um mero jornal.
Posso ter estragado 20 anos de minha vida, mas ainda tenho mais 80 anos para recuperar e colocá-la no eixo.

Beijos.

2 comentários:

Patty disse...

Só tenho uma coisa a dizer: Uau!!!

Que texto lindo, Day!!! Mas fico super feliz em saber que se reencontrou. De vez em quando é bom limparmos aquele cantinho esquecido, empoeirado e cheio de teias de aranha, e encontrar coisas que, há alguns anos, eram tão importantes para nós.

Tenha força e presevere que logo, logo suas paredes estarão lotadas de fotinhas!

Bjs, Patty
obsessaofeminina.blospot.com

Luciana disse...

nossa amei o texto parabens